Renda Variável

Renda variável diz respeito às aplicações das quais não é possível determinar, no momento da aplicação, o quanto de retorno que o investidor poderá ter. É possível obter ganhos altos no curto prazo. Por outro lado, é possível ter perdas significativas do dinheiro investido.


Renda variável está diretamente relacionado com ações, fundos de investimentos em ações e todo ativo que tem mudanças significativas de preço, para mais ou para menos, e que não são remunerados a uma taxa fixa, tendo seu preço livremente negociado no mercado. Outros exemplos de renda variável são: moedas estrangeiras, ouro e commodities.


Investir em ativos de renda variável implica em correr mais riscos em troca de retornos maiores e, muitas vezes, em um menor período de tempo. Esse tipo de investimento NÃO é aconselhável para as pessoas que não aceitam correr riscos, pois é possível perder dinheiro com eles. Também, devemos deixar claro que investir em ações não é aposta e nenhum tipo de sorte e sim de conhecimento e consentimento, pois requer uma análise cuidadosa da macroeconômica mundial, do ativo do qual se está investindo e do momento histórico do preço do ativo.


Portanto, para se investir em Renda Variável, o investidor deverá ter conhecimento do que está fazendo, quais as regras do mercado, quais os rumos que a economia terá futuramente e quais serão as perspectivas das empresas ou dos ativos em questão. Aqui no Ynvestimentos, você aprenderá como funciona os principais instrumentos de renda variável no Brasil, suas regras, riscos, custos e estratégias. Confira:



indice-bovespa

Índice Bovespa e Mini índice

Índice Bovespa e Mini índice 1. O que é? O Índice Bovespa representa o desempenho médio das principais ações na Bolsa de Valores de São Paulo, sendo formado pelas ações com maior volume de...

global-bonds

Global Bonds

1. O que é? Global Bonds são títulos da dívida externa brasileira negociados no exterior, denominados em dólar, que pagam cupons semestrais e amortização única no vencimento. Esses títulos (ativo-objeto dos futuros de Global...

futuro-de-dolar

Futuro de Dólar

1. O que é? O dólar futuro visa negociar contratos de taxas de câmbio de Reais por Dólar dos Estados Unidos, sendo sua cotação de venda, para pronta entrega. As empresas e os investidores...

cupom-de-ipca

Cupom de IPCA

 1. O que é? Cupom de IPCA é a taxa de juro obtida a partir do cálculo da diferença entre a acumulação da taxa de depósitos interfinanceiros (DI) no período compreendido entre a data...

cupom-de-igpm

Cupom de IGP-M

Cupom de IGP-M 1. O que é? O contrato futuro de IGPM foi criado pela BMF em 28/10/2002, a fim de servir como hedge para os fundos de investimentos cuja rentabilidade estava atrelada ao...

cupom-cambial

Cupom Cambial

1. O que é? O contrato futuro de cupom cambial é a taxa de juro obtida a partir da diferença entre a taxa acumulada do depósito interbancário (DI) e a taxa de câmbio no...

contrato-futuro-de-di

Contrato Futuro de DI

1. O que é? O contrato de depósito interfinanceiro futuro – o DI futuro – é o principal ativo negociado na BMF&Bovespa devido ao fato de ser a taxa de juros uma das principais...

commodities

Commodities

Commodities, em inglês, significa mercadoria. As commodities aqui no Brasil são negociadas em bolsas de mercadorias, feitos pela Bolsa de Mercadorias e Futuros – BM&F&Bovespa. As commodities são produtos naturais, geralmente extraídos, produzidos ou...

mercadoria-e-futuros

Mercadoria e Futuros

Mercadoria e Futuros Contratos futuros são acordos entre agentes do mercado de comprar ou vender uma determinada mercadoria ou instrumento financeiro, a um determinado preço no futuro. Esses contratos são realizados dentro da Bolsa...

home-broker

Home Broker

1. O que é O home broker é uma plataforma eletrônica, implementada no Brasil em 1999, que permite comprar e vender ações pela internet, além de acompanhar todas as cotações e negociações das ações...