banner-meus-ynvestimentos

Fundos de Índices

Fundos de Índices

Fundos de Índices

1. O que é?

Os fundos de índices, conhecido mundialmente por exchange traded fund – ETF (que podem também ser chamado de Ishares), investem seus recursos buscando seguir o desempenho de um determinado índice de mercado. Geralmente, suas cotas são negociáveis na Bolsa de Valores ou no mercado de balcão organizado, como se fossem ações. Por exemplo, existem fundos do qual o Benchmark é acompanhar ou superar o Índice Bovespa (código na bolsa: BOVA11).

No nome de qualquer fundo de índices deverá vir a identificação do índice do qual o fundo se referencia, sendo que todos os fundos devem manter, no mínimo, 95% do seu patrimônio aplicado em valores mobiliários ou outros ativos que autorizados pela CVM desde que estes ativos integrem o índice de referência ou reflitam a variação e a rentabilidade de tal índice. É permitido o uso de derivativos e de swap – um contrato a termo com troca de rentabilidade.

A grande vantagem em investir nos fundos de índices é que o investidor passa a deter todas as ações que fazem parte de um terminado índice, sem ter que comprar todas as ações separadamente de cada empresa. Já imaginou ter que comprar cada ação que compõe um determinado índice? O investidor iria gastar muito dinheiro, e os custos de corretagem seria altíssimo. Dessa forma, investir em um fundo de índice proporciona uma grande diversificação, pois é como se o investidor tivesse uma carteira bastante diversificada de ações. Além disso, como as cotas dos fundos de índices são negociadas em Bolsa, é possível usá-las como garantia para realizar outras operações na Bolsa e até mesmo aluga-las para outro investidor, caso o detentor das cotas dos Fundos pretender ficar com as cotas por um período de tempo prolongado.

Os riscos envolvidos ao investir nos fundos de índices estão associados ao risco da renda variável, isto é, o risco de mercado. Há outros riscos envolvidos também, como o risco de liquidez, visto que a negociação das cotas de fundos de índices na Bolsa ainda tem baixa liquidez. Entretanto, investir nesse tipo de fundo traz a diversificação do risco não sistêmico, isto é, o risco de se investir em uma só empresa. Logo, a grande vantagem dos ETFs é a diversificação, pois é como se você possuísse ações de diversas empresas.

Os custos envolvidos ao se investir nos fundos de índices são iguais ao de investir diretamente em ações, isto é:

  • Taxa de corretagem: esse custo será cobrado ao se comprar ou vender cotas dos fundos na Bolsa. Poderá ser uma porcentagem do valor da operação realizada ou um valor fixo.
  • Taxa de custódia: É cobrado um valor mensal pela guarda das ações e outros serviços oferecidos pela corretora.
  • Taxa de administração: Taxa que remunera os serviços prestados pelo administrador do fundo. Sempre atentar para esta taxa, pois taxas altas podem afetar o rendimento do fundo.

Ao serem negociadas na Bolsa, as cotas possuem um sistema de cálculo, dando um preço indicativo do preço das cotas dos fundos negociadas no mercado. Esse sistema de cálculo é chamado de IOPV (indicative optimized portfolio value). Ele é calculado multiplicando os a quantidade de ativos em carteira pelos respectivos preços mais recentes negociados na Bolsa de Valores, sendo calculado a cada 30 segundos.


2. Tributação

A tributação nos fundos de índices é parecida com a tributação em ações. A alíquota que incide sobre as operações nos fundos de índices é de 15% sobre o ganho de capital.

Quando o fundo é formado, se o investidor alienar suas ações, as movimentações de até R$ 20 mil são isentas de tributação, sendo a mesma regra para a negociação com ações. Se o investidor resgata suas cotas dos fundos e optar por receber em ações, isto é, se na hora do resgate ele optar por receber as ações compostas no índice, também há isenção de tributação de até R$ 20 mil. Entretanto, se ao resgatar as cotas ele optar por receber em dinheiro, não há qualquer isenção de tributação.


3. Vantagens

  • Diversificação – Uma das maiores vantagens dos fundos de índices, pois é como se o investidor comprasse uma cesta de ações, evitando assim a concentração em apenas poucas ações;
  • Gerenciamento de riscos: Os fundos de índices seguem a performance de diversas ações ao mesmo tempo, minimizando o risco não sistêmico e equilibrando risco versus retorno;
  • Economia de taxa de corretagem: Se o investidor tivesse que comprar todas as ações para replicar um determinado índice, os custos de corretagem seriam altos demais;
  • Taxas de administração são geralmente menores do que outros tipos de fundos;
  • Cotas em negociação em Bolsa de Valores, dando mais vantagem ao investidor, possibilitando, inclusive, na utilização dessas cotas como garantia em outras operações;

4. Desvantagens

  • Os fundos de investimentos em índices não são garantidos pelo fundo garantidor de crédito;
  • Taxas de administração altas podem afetar a rentabilidade do fundo;
  • Alto risco, pois os fundos de índices investem em renda variável, sendo a carteira passível de perdas.

Você também poderá gostar...